2

Estudo das
Referências Curriculares

Essa é uma etapa de preparação para a produção do novo documento curricular.

Você está lendo:

2. Estudo das referências curriculares

Questões para reflexão

  • Como elaborar um documento curricular que considere bebês, crianças, jovens e adultos das diferentes escolas dos municípios, regiões e estado?
  • Em que medida os documentos curriculares atuais atendem às necessidades das crianças e dos jovens? Quais ajustes precisam ser feitos?
  • Qual o histórico curricular do meu estado? Quantos dos municípios já possuem documento curricular próprio? Quantos municípios utilizam o documento curricular da rede estadual?
  • Dentre os diferentes modelos curriculares que conhecemos, qual atenderia melhor o estado?
  • Ao analisar os resultados das avaliações internas e externas, o que chama mais atenção e que precisa ser considerado na produção do documento curricular? Proficiência em Língua Portuguesa? Matemática? Em outros componentes? Os indicadores de fluxo? Como abordar essas questões no novo documento?
  • Quais pesquisas realizadas em meu estado, no país ou internacionalmente podem apoiar no processo decisório de (re)elaboração curricular?

É preciso estudar e entender a proposta da BNCC, o histórico curricular local, as pluralidades e diversidades dos vários documentos existentes, incluindo os currículos dos municípios. Esse mergulho enriquece o debate e qualifica as contribuições.

Nesta etapa, a equipe gestora do processo e as equipes pedagógicas dedicam-se a estudar conceitos e concepções fundamentais para a (re)elaboração curricular como, por exemplo, a BNCC e a articulação com os demais documentos existentes (a exemplo dos Projetos Pedagógicos – PPs das escolas); os referenciais teóricos; os diferentes tipos de documentos curriculares; as implicações do formato navegável e editável e abordagens; e as metodologias para uma (re)elaboração curricular.

Atenção: Materiais de formação, sugestões de pautas e ferramentas para estudo e compartilhamento serão disponibilizados como parte do Programa de Apoio à Implementação para uso nas semanas de planejamento, nos horários de trabalho pedagógico e atividades com a comunidade escolar e nos momentos de trabalho durante o processo de construção do currículo do estado. Recursos introdutórios e formativos sobre a BNCC (apresentações, cadernos informativos, vídeos etc.) para professores, gestores, técnicos e comunidade escolar são alguns exemplos de materiais. Além disso, formações presenciais e a distância para as equipes de currículo do estado irão subsidiar as primeiras discussões e estudos sobre a BNCC, bem como o início do processo de (re)elaboração curricular.

É necessário conhecer o histórico de documentos curriculares que orientaram o trabalho do estado e dos municípios até o momento.

Como passo inicial desse processo, sugere-se a realização de um diagnóstico sobre a situação curricular dos municípios do estado, para mapear quantos já têm seus próprios documentos, assim como quais são seus referenciais e concepções pedagógicas.

Atenção: É provável que muitos professores e gestores tenham participado da construção curricular nos últimos anos e reconheçam-se nesses documentos. Isso deve ser levado em consideração ao propor uma revisão curricular à luz da BNCC. As boas experiências desses professores devem ser aproveitadas para qualificar a construção.

Para iniciar a (re)elaboração curricular de maneira alinhada e coerente com o histórico do estado e as condições de implementação, será necessário definir algumas diretrizes que apontem qual concepção e o modelo de estrutura do documento curricular que se quer construir. Alguns exemplos do que pode ser definido são: princípios norteadores do currículo, processo de avaliação, metodologia, nível de detalhamento das habilidades, exemplos de propostas de trabalho interdisciplinar, estratégias para contemplar diversidades locais, temas integradores, formato e utilização de exemplos de atividades, orientações didáticas para cada componente curricular, entre outros.

Apresentar as diretrizes definidas, em reuniões presenciais ou a distância, por exemplo com uso da Plataforma Educação é a Base ou webconferências, ajudará a concretizar esta etapa e iniciar a (re)elaboração curricular de maneira alinhada.

Atenção:O estudo sobre BNCC e o documento curricular também deve ser comunicado. Promover palestras sobre a BNCC, grupos de estudo, discussões nas horas de atividades coletivas, entre outras ações, podem ser estratégias de comunicação. Não se esqueça de divulgar esses eventos e reuniões internamente e para a imprensa local.